terça-feira, 1 de julho de 2008

Botafogo atrás de Ricardo Pedriel


Ao contrário do que a maioria pensava, a nova contração alvinegra pode não ser um atacante argentino, e sim um boliviano. Trata-se de Ricardo Pedriel, atacante de 21 anos do clube boliviano Jorge Wilstermann. Considerado uma revelação em seu país, ele tem atuado pela seleção nos últimos jogos das eliminatórias e vem recebendo inúmeras propostas e um de seus mais prováveis destinos é General Severiano.

Além do Botafogo, Pedriel também está sendo procurado por Sport, Cruzeiro e um clube europeu de pequeno porte. A oferta européia é a mais vantajosa para o atacante, mas é possível que ele escolha um clube brasilero em função da maior visibilidade do Brasileirão.

A proposta alvinegra seria de comprar parte dos direitos de Pedriel, concedendo um percentual ao Jorge Wilstermann no caso de uma revenda. Membros da diretoria negam veementemente sua contratação, mas rumores sobre sua transferência continuam a circular por General Severiano.

Outros jogadores

Além do boliviano Ricardo Pedriel, o Botafogo sondou, recentemente, outros dois jogadores. O argentino Armani, do clube Tiro Central, era uma das apostas de Ricardo Rotenberg. No entanto, o Newell's Old Boy saiu na frente e conseguiu contratá-lo. Além dele, o paraguaio Pablo Escobar, camisa 10 do The Strongest, também esteve em estágio avançado de negociação, mas a diretoria alvinegra decidiu deixar a vaga de terceiro estrangeiro na equipe para o ataque, já que este é o setor mais carente da equipe.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Vazamento de notícia pode prejudicar vinda de De Frederico


Segundo uma fonte ligada à diretoria alvinegra, o vazamento do interesse do Botafogo na contratação do jovem De Frederico pode melar a negociação. O atacante, que tem apenas 19 anos e integra a seleção sub-20 da Argentina, já foi sondado por outros clubes e a notícia do interesse alvinegro apenas aumentou seu valor de mercado.

Ainda segundo esta mesma fonte, dificilmente algum reforço chegará até o dia 25 de março (terça-feira), quando terminam as inscrições para jogadores estrangeiros para competições nacionais. De Frederico, tal qual Tomás Costa, é um jogador jovem e valorizado, por isso a diretoria terá que se desdobrar para trazê-lo.

Fogão corre atrás de argentino Tomás Costa!

A nova aposta do Botafogo para a temporada 2008 já tem nome e sobrenome: trata-se de Tomás Costa (foto), jovem apoiador argentino de 23 anos, atualmente titular do Rosario Central. Segundo uma fonte ligada à diretoria alvinegra, o clube ainda corre atrás de reforços estrangeiros, mas o prazo imposto pela CBF para inscrições em competições nacionais, dia 25 de março, pode dificultar as negociações. Mesmo assim, os dirigentes continuam empenhados.


Como o campeonato argentino só aceitará novas transferências na próxima temporada local, dificilmente os clubes abrirão mão de seus jogadores. Por isso, é bem provável que o Glorioso só receba novos “hermanos” em agosto, quando a janela de contratações internacionais será reaberta no Brasil e a primeira divisão da Argentina terá terminado.

No entanto, se realmente quiser contar com Tomás Costa em seu time, o Alvinegro terá que conseguir muito dinheiro de seus investidores. No início do ano, o Porto, de Portugal, ofereceu uma quantia de quatro milhões de dólares pelo jogador, mas o Rosario Central rejeitou a oferta, argumentando que a comissão técnica não estava disposta a perder um membro-chave da equipe no meio da competição. Tido como revelação no clube, Costa é visado pro clubes do mundo inteiro e o Botafogo terá um verdadeiro desafio pela frente para contratá-lo.

terça-feira, 18 de março de 2008

Leandro Guerreiro bem próximo de voltar!


A torcida do Botafogo pode começar a comemorar: Leandro Guerreiro está bem próximo de retornar aos gramados. Ontem, o jogador fez seu primeiro treinamento ao lado de seus companheiros, em General Severiano e, segundo fontes ligadas ao departamento médico, pode estar apto a jogar até o fim do Campeonato Carioca. Totalmente curado da operação no púbis, o volante precisa apenas pegar ritmo de jogo para entrar em campo, o que deve acontecer entre duas e três semanas.

Guerreiro é vítima de seu próprio esforço. Na reta final do Campeonato Brasileiro, ele deu o sangue para não desfalcar o Botafogo. Sem subsituto, ele jogou com dores no púbis até o fim da competição e agora está sofrendo as conseqüências de seus atos. Na ocasião, o próprio Cuca ressaltava que Leandro jogava porque queria, e não porque estava sendo obrigado.

Cirurgia

No começo do ano, uma cirurgia para acelerar sua recuperação foi praticamente descartada. No entanto, como a lesão mostrou-se bem pior do que o imaginado, o departamento médico do clube optou por operá-lo. Assim, seu retorno ao futebol, previsto para apenas 45 dias no começo de abril, se prolongou por um período muito maior.

Mesmo capaz de entrar em campo, é improvável que Leandro Guerreiro seja escalado para as últimas partidas do Carioca. Como está há muito tempo afastado do futebol, Cuca deve optar por Diguinho e Túlio até que ele alcance seu ritmo de jogo ideal. Além disso, o volante deve estar apto a atuar apenas quando o Botafogo estiver nas semifinais da Taça Rio, adiando um pouco seu retorno.

Ídolo

Leandro Guerreiro chegou ao Botafogo em janeiro de 2007 após se destacar na Série C do Brasileirão, quando pertencia ao Criciúma. Em pouco tempo, ele conseguiu a confiança do torcedor alvinegro e conquistou o status de ídolo do clube. Nas últimas semanas, o anúncio da possibilidade de trocá-lo com o Vasco por Leandro Amaral resultou em vários protestos da torcida.

E, se os botafoguenses realmente quiserem vê-lo em campo novamente, precisarão torcer muito. Diguinho e Túlio têm conseguido uma regularidade muito boa em 2008 e Guerreiro terá que provar a Cuca que tem condições de voltar como titular do Alvinegro em 2008.

sexta-feira, 7 de março de 2008

Escalada não fica no Botafogo

A negociação com um clube russo de primeira divisão pode ter falhado, mas os botafoguenses podem anotar uma coisa: Escalada não ficará no Botafogo. Segundo o colaborador da diretoria, Ricardo Rotenberg, o Alvinegro recusou a proposta do clube europeu pois tem melhores de outras equipes.

"Além desse time russo, há clubes da Ásia e da Europa muito interessados em levar o Escalada. Aqui no Botafogo suas chances de ficar são mínimas", explicou o dirigente.

Missão Argentina!


A diretoria do Botafogo está fazendo os últimos preparativos para fazer uma viagem que pode decidir o destino do clube no Brasileirão. No próximo final de semana, Carlos Augusto Montenegro e Ricardo Rotenberg estarão na Argentina para sondar de perto alguns craques pretendidos.

No entanto, um pequeno problema dará tons de angústia a estas negociações. Neste ano, a CBF irá limitar as inscrições de jogadores vindos do exterior para as competições nacionais até o dia 25 de março, transformando a busca por reforços em uma verdadeira corrida contra o tempo.

Além disso, o dirigente já afirmou em outras ocasiões, que só chegarão jogadores que forem observados pessoalmente, para que nenhuma surpresa seja vista na chegada ao aeroporto.

Com o adiantamento das inscrições, os dirigentes terão ainda menos oportunidades para observar os argentinos em ação. Segundo Rotenberg, o objetivo da viagem será reforçar o time sem cometer erros, como foi a contratação de Escalada.

“Não quero mais cometer os mesmos erros do passado”, afirmou o dirigente.

“De agora em diante, trarei para cá apenas jogadores que vi em ação, o que não foi o caso do Escalada. Da última vez analisei partidas, trouxe da Argentina um verdadeiro achado, que é o Ferrero”, explicou. Ex-Tigre, equipe da primeira divisão argentina, Ferrero ainda não tinha sido sondado por qualquer clube estrangeiro até o Botafogo tentar trazê%lo.

Risco calculado

Rotenberg também falou dos riscos de fazer uma contratação, revelando acreditar que o clube ainda está no lucro.

“Algumas das nossas apostas podem não estar dando certo. Enquanto Escalada e Róbston foram muito mal, mas Zé Carlos, Castillo, Ferrero e Wellington Paulista estão arrebentando. Contratar alguém é sempre um risco, mas acho que até agora o nosso saldo é positivo”, ressaltou o dirigente.

Vasco quer Jorge Henrique por Leandro Amaral

Nas últimas semanas, a diretoria do Botafogo tem mostrado que não irá medir esforços para ter Leandro Amaral em seu elenco. No entanto, talvez o clube tenha que pagar um preço jamais imaginado para ver o badalado atacante vestindo a camisa alvinegra. Ao contrário do que foi especulado recentemente, o Vasco não quer Leandro Guerreiro em troca de seu jogador. A verdade é que o clube da Colina que levar Jorge Henrique para São Januário.

Segundo uma fonte ligada à diretoria do clube, apesar do grande número de atacantes que o Vasco tem em seu elenco, Jorge Henrique é uma das poucas moedas de troca capazes de fazer Leandro Amaral aportar em General Severiano. Se o Botafogo irá ou não acatar ao pedido, ninguém sabe. A verdade é que uma onda de dúvidas varre a mente de todos os torcedores.

Afinal, vale a pena trocar Leandro Amaral pelo atacante do Botafogo, se perguntam os vascaínos. Do outro lado, a dúvida não é menor. Jorge Henrique, que já é ídolo entre os alvinegros, pode ser simplesmente trocado pelo artilheiro cruzmaltino?

A sorte está lançada para ambos os lados, mas a verdade é que o Botafogo é um dos poucos clubes que têm a dianteira na negociação do renegado jogador do Vasco. Ontem, uma decisão judicial o deixou praticamente impossibilitado de voltar ao Fluminense. Uma fonte ligada ao jogador garante que várias propostas do Brasil e do mundo chegaram às mãos da diretoria vascaína logo após o julgamento, mas a troca por Jorge Henrique, e não Leandro Guerreiro, ainda é vista com bons olhos.

quinta-feira, 6 de março de 2008

Damián Diaz não vem

Um dos craques sondados pelo Botafogo para o Campeonato Brasileiro, o jovem apoiador argentino Damián Diaz não vestirá a camisa alvinegra. Segundo Ricardo Rotenberg, colaborador da diretoria do clube, o Rosario Central pediu um valor muito alto pela sua transferência.

"Nos pediram cerca de 3 milhões de dólares por ele. É um excelente jogador, mas é um investimento muito alto para o Botafogo, além de ser realmente arriscado fazê-lo ou convencer um investidor a aceitar este risco. Vamos buscar outras opções", explicou o dirigente.

Negociação de Escalada está praticamente concluída

Segundo uma fonte ligada à diretoria, a negociação do atacante Escalada com um clube da primeira divisão do futebol russo está praticamente concluída. Hoje, em General Severiano, um agente de transferência russo responsável pelo trâmite irá se reunir com Ricardo Rotenberg para acertar os últimos detalhes de sua ida.

Sei que alguns torcedores não gostaram da maneira como o argentino deixou o Botafogo e, para estes, digo apenas o seguinte: muita gente grande lá dentro não gostou. Luiz Miguel Escalada ainda dará muito o que falar pelos corredores de General, quem viver verá.

Confiança total no departamento jurídico?

Normalmente, um jogador que está num tribunal fica tenso com o julgamento, não consegue esperar pela sua sentença, certo? Bem, isso é verdade, mas Diguinho achou uma maneira curiosa de driblar esta ansiedade.

Ontem, no auditório da Federação, onde foi realizado o julgamento dos jogadores, o jovem volante do Botafogo foi pego no flagra jogando um minigame escondido dentro de seu boné.

Cliquem na foto para ampliar e confiram!

terça-feira, 4 de março de 2008

Uma sexta-feira especial para Édson


Esta sexta-feira será bem especial para Édson, já que nesta data ele e sua esposa Jalvanir irão se casar. O zagueiro deve viajar para Alagoas no dia da cerimônia e não terá nem tempo para aproveitar sua lua-de-mel. Logo no sábado, ele estará de volta ao Rio para treinar com seus companheiros.

"Para mim a lua-de-mel perfeita será aqui no Botafogo mesmo", brincou Édson. Aos 21 anos, ele está com Jalvanir desde os 17. No entanto, ela não veio como ele para o Rio. "Ela é muito apegada a avó dela, com a qual foi criada, por isso ficou lá desde o início do ano, quando vim para o Rio de Janeiro", explica o jogador, que já sabe para onde vai levar sua esposa quando ela passar a morar aqui.

"Ela sempre disse que o sonho dela era conhecer o Cristo Redentor. Na primeira folguinha que eu tiver vou levá-la para conhecê-lo", afirmou.

Para Édson, o casamento vai aumentar sua responsabilidade e ele terá que trabalhar dobrado, já que pretende ter filhos no futuro.

"Vai ser mais uma boca para alimentar, né? Vou ter que me dedicar ainda mais ao Botafogo para ficar tudo bem", garantiu o zagueirão.

segunda-feira, 3 de março de 2008

Fogão corre atrás de Dámian Diaz

Com a saída de Escalada dada como certa em General Severiano, a diretoria alvinegra poderá finalmente investir na contratação de um velho sonho de consumo de Ricardo Rotenberg: o apoiador Damián Diaz, do clube argentino Rosario Central. O jogador, de apenas 21 anos, já foi citado pelo dirigente do Botafogo várias vezes, mas o número de estrangeiros no time impossibilitou um avanço nas negociações.

Agora que Ferrero e Castillo são os únicos gringos na equipe, Damián poderá voltar ao foco das contratações. Antes, o rumor de que a CBF autorizaria quatro estrangeiros por equipe no Brasileirão, ainda não confirmado pela instituição, servia como última esperança para a vinda do argentino.

Damián Diaz fez sua estréia noRosario Central em abril do ano passado, assim que foi promovido das categorias de base do clube. Apesar do pouco tempo no futebol, o apoiador rapidamente garantiu a camisa 10 e é titular absoluto da equipe.

Escalada

Uma reunião hoje, em General Severiano, deve decidir o futuro de Escalada. O atacante argentino, que não agradou a Cuca nos treinamentos, será negociado com um clube russo cujo nome ainda não foi revelado.

Segundo uma fonte ligada à diretoria do Botafogo, a entrada de Escalada na partida contra o América teve como objetivo exibir o jogador e buscar mais propostas por ele.

Esta mesma fonte garante que a diretoria já estuda dispensá-lo desde as últimas partidas da Taça Rio.

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Confira quem a diretoria tentou trazer para a Taça Rio


A diretoria do Botafogo fez mistério, mas o OBSERVATÓRIO ALVINEGRO traz para os torcedores quais jogadores o clube tentou trazer para reforçar a equipe que disputa a Taça Rio. Não eram grandes contratações, mas apostas do mesmo nível que Eduardo e Édson. Confira abaixo os atletas que quase vestiram o manto alvinegro!

LUIZ HENRIQUE, do Palmeiras
O atacante era um dos favoritos da diretoria, que o vê como um jogador muito promissor. No entanto, seus direitos federativos pertencem ao São Caetano e o clube não considera dispensá-lo em função de sua péssima situação financeira. O próprio jogador ficou animado com a proposta do Botafogo, mas não deve vir.

OTACÍLIO NETO (FOTO), do Noroeste
O jogador é querido tanto pelo técnico Cuca quanto por membros da diretoria do Botafogo. Atualmente, ele é o artilheiro do Paulistão, o que o valorizou muito e inviabilizou sua negociação.

VANDINHO, do Avaí-SC
O atacante é o artilheiro do Campeonato Catarinense e foi sondado pelo Botafogo. No entanto, por ser fundamental para seu clube, também não foi negociado.

NEY PARAÍBA, do Vera Cruz-PB
Foi oferecido ao Botafogo e a diretoria chegou a sondá-lo, mas desistiu de contratá-lo.

Bota aposta em Heverton para o Brasileirão


Já faz tempo que o Botafogo corre para contratar o meia-atacante Heverton, atualmente no Cortinhians. O jovem jogador, que já teve passagens pela Ponte Preta, Guarani e pelo futebol turco estaria no nível das contratações-apostas pelas quais a diretoria tem optado. Na Taça Rio não foi diferente e, por muito pouco, o apoiador não vestiu o manto alvinegro.

"Nós conseguimos a liberação do Heverton com a diretoria do Corinthians. Ele estavam dispotos a liberá-lo, já que estão com problemas financeiros e tentando cortar ao máximo os gastos. No entanto, o Mano Menezes vetou a transferêcia dele pois pretende usá-lo durante o Paulista", explicou Rotenberg, colaborador da diretoria alvinegro. Ele não descarta a vinda do jogador para o Brasileirão.

"Tenho muita confiança que ele virá para o Campeonato Brasileiro. É muito difícil contratar nessa época do ano, no meio dos estaduais", explicou o dirigente.

Rotenberg também fez questão de garantir que reforços virão para o Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana.

"Esta época do ano é horrível para fazer contratações, mas garanto que o torcedor não irá se decepcionar. Nós iremos fortalecer o time para as próximas competições", ressaltou o colaborador.

Contundidos não voltarão para a Taça Rio


Ao contrário do que Cuca estava pensando, Túlio Souza, Leandro Guerreiro e Luciano Almeida não voltarão a tempo para disputar a Taça Rio. Segundo uma fonte ligada ao departamento médico do clube, nenhum dos três tem condições para voltar aos gramados até o fim do Carioca.

Os casos mais graves são os de Túlio Souza e Leandro Guerreiro. A dupla de volantes está apenas no começo do processo de recuperação e só devem entrar em campo no Campeonato Brasileiro.

Já Luciano Almeida é aquele que está em melhores condições. O lateral, que se contundiu na partida contra o Sport válida pelo segundo turno do Brasileirão 2007, já está treinando com bola e sua lesão está praticamente curada. No entanto, a total falta de ritmo de jogo o deixarão de fora da equipe por um bom tempo.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Meia-atacante pode ser anunciado na manhã de sexta-feira!

Segundo uma fonte ligada à diretoria do Botafogo, um novo meia-atacante que vem para reforçar o clube para a Taça Rio pode ser anunciado na manhã desta sexta-feira. Segundo esta fonte, o jogador viria para compor elenco e estaria dentro do nível das apostas recentes feitas pelo clube, como Édson e Eduardo.

A negociação é dura e seu prazo limite é a manhã desta sexta, já que as inscrições de novos jogadores para a Taça Rio terminam nesta mesma data.

Rotenberg responde comentários do blog


Ontem, a notícia do interesse do Botafogo em Leandro Amaral mexeu com a torcida alvinegra. A grande maioria dos comentários deixados pelos botafoguenses aqui no Observatório Alvinegro era de protesto, pois o atacante é visto como um mercenário, tal qual o ex-Glorioso Dodô. Para Rotenberg, a reação da torcida é normal e algumas partidas com o manto alvinegro mudariam a opinião de todos.

"Leandro Amaral é um jogador sem camisa, que nunca teve um clube fixo. No entanto, nem por isso ele deixa de ser um bom profissional. Entendo perfeitamente a reação da torcida, mas garanto que, assim que ele fizer um gol com a camisa do Botafogo, todos esquecerão do seu passado", afirmou o dirigente, que também comentou a saída conturbada do atacante do Vasco da Gama.

"Ninguém sabe exatamente os detalhes da saída de Leandro Amaral do Vasco, por isso é muito complicado chamá-lo de traidor. Ele teve suas razões para fazer o que fez", garantiu.

Leandro Amaral está no topo da lista de contratações do Botafogo para o Campeonato Brasileiro. A intenção da diretoria é preparar uma equipe forte o suficiente para conseguir, ao menos, uma vaga na Taça Libertadores.

Eurico: "Ainda é cedo para decidir o futuro de Leandro Amaral"


Procurado pelo OBSERVATÓRIO ALVINEGRO no intervalo da partida entre Vasco e Itabaiana, o presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda, preferiu não falar sobre a negociação de Leandro Amaral com o Botafogo. Segundo o dirigente, ainda é muito cedo para sequer pensar no assunto.

"Ainda nem resolvi todos os problemas da volta do Leandro Amaral. Ainda não é hora de querer ficar sabe de interesse de outros clubes, é muito cedo para isso", respondeu Eurico Miranda, irritado.

Em dezembro, quando toda polêmica envolvendo a saída de Leandro Amaral do Vasco estourou, o colaborador da diretoria alvinegra, Ricardo Rotenberg, garantiu que o Botafogo tinha grandes chances de ficar com o craque caso o Fluminense perdesse a disputa judicial. Hoje, dois meses após as negociações, Rotenberg já garantiu que fará de tudo para ter o artilheiro.

Leandro Amaral na mira do Fogão


É, botafoguense, vem bomba por aí. O Alvinegro já está atrás de novos reforços para o Campeonato Brasileiro e quem encabeça a lista elaborada pela diretoria é justamente Leandro Amaral. O atacante, que fez enorme sucesso defendendo o Vasco nas temporadas 2006/2007 estava no Fluminense, mas Eurico Mirando conseguiu cassar a liminar que validava o atual contrato do atacante. Agora, novamente nas mãos do Vasco, um dos prováveis destinos do artilheiro pode ser General Severiano.

Em dezembro, quando toda polêmica envolvendo a saída de Leandro Amaral do Vasco chegou ao auge, o Botafogo mostrou grande interesse em contratá-lo. Na ocasião, Ricardo Rotenberg, principal responsável pelas cotnratações do clube, chegou a afirmar que, caso Eurico vencesse a queda de braço, o atacante tinha boas chances de defender o Alvinegro.

Agora, dois meses depois, o próprio Rotenberg garantiu que tentará retomar as negociações com o Vasco e fará de tudo para ter Leandro Amaral no Botafogo.

"Faremos o possível para ter Leandro Amaral no nosso time. As conversas estava bem adiantadas em dezembro, mas sua ida para o Fluminense parou tudo. Agora que o Vasco tem seus direitos novamente, faremos de tudo para trazê-lo e tentaremos voltar a manter contatos com a diretoria cruzmaltina", afirmou o dirigente, que vê o atacante como um grande reforço para o Campeonato Brasileiro.

"Leandro Amaral não pode mais jogar na Taça Rio e está fora do Campeonato Carioca. A idéia seria trazê-lo para disputar o Campeonato Brasileiro. Ele seria nosso principal reforço para a competição", enfatizou Rotenberg.

Manoel Renha retorna ao futebol do Botafogo


Nesta quarta-feira, um almoço traçou as diretrizes de como será a diretoria do Botafogo até o final desta temporada, quando novas eleições para a presidência devem ocorrer. Alegando cansaço, Bebeto de Freitas decidiu se afastar de vez do futebol e um trio de dirigentes irá dividir as principais funções do clube. A grande novidade é o retorno de Manoel Renha ao futebol do Botafogo. O dirigente estava afastado desde a derrota para o River Plate, pela Sul-Americana.

Quando Bebeto voltar de viagem, ele deve assumir projetos ligados a outros esportes. Ricardo Rotenberg continua no ramo das contratações do Glorioso, Manoel Renha assumirá o controle do dia-a-dia do clube e Montenegro ficará por conta de outras funções.

Considerado o sucessor de Bebeto de Freitas na presidência do Alvinegro, tudo indica que Manoel Renha usará os próximos meses para tomar as rédeas do clube e aprender a lidar com o cargo que provavelmente será seu no ano que vem.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Há coisas que só acontecem no Botafogo...

É, torcida botafoguense, parece que a má sorte ainda não deixou General Severiano. Após um bom começo de temporada, uma nova avalanche de contusões voltou a afligir o Botafogo. Deste vez, a menos de uma semana para a final da Taça Guanabra, contra o Flamengo, cinco jogadores podem deixar Cuca na mão. São eles Jorge Henrique, Zé Carlos, Ferrero, Fábio e Lucio Flavio.


Jorge Henrique, que jogou no limite contra o Fluminense, continua sentindo dores de seu estiramento na coxa esquerda, assim como Fábio. A situação de Zé Carlos também é preocupante, já que ele sofreu uma lesão no músculo posterior de coxa esquerda cuja gravidade ainda é desconhecida pelo departamento médico, mas pode deixá-lo fora da decisão. Ferrero e Lucio Flávio sentem fortes dores musculares, mas a situação deles não é tão ruim.

“O grande problema de preparar uma equipe para a final nestas condições é a dificuldade em trabalhar o esquema tático. Não sei com quais destes jogadores poderei contar para o jogo contra o Flamengo. Tudo isso atrapalha a preparação”, afirmou Cuca, que ressaltou a dificuldade na avaliação da situação de Zé Carlos e Jorge Henrique.

“Eles sofrem de lesões musculares, que são muito complexas. Nestas horas, o melhor médico é o próprio jogador e a resposta deles para este processo de recuperação nós só teremos até o meio da semana”, explicou.

A notícia preocupa aos torcedores, que lembram bem do que levou Carrossel Alvinegro de 2007 à ruína: a falta de peças de reposição. O problema, ressaltado por Cuca desde o fim do ano passado, ainda não foi resolvido pela diretoria e, mais uma vez, o treinador corre o risco de encarar uma partida importante com seu esquema prejudicado.

“Sempre falei que queria um elenco mais homogêneo nessa temporada. Continuamos com esse problema, mas vamos ter que ir para o jogo com o que temos”, disse o comandante.

Triguinho

A única ausência confirmada para a decisão da Taça Guanabara é a de Triguinho. O jogador, que vem atuando tanto pela zaga quanto pela lateral-esquerda, foi expulso na partida contra o Fluminense. Segundo Cuca, ainda é cedo para dizer quem será seu substituto, mas é bem provável que Edson comece o jogo contra o Flamengo como titular.

“Não tenho certeza, mas o mais lógico é que Edson jogue no lugar do Triguinho”, explicou o treinador.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Wellington Paulista: "Quero ficar aqui por um bom tempo"

Há jogadores que chegam em um clube para brilhar, outros brilham, mas jamais adquirem identificação com a torcida. O objetivo de Wellington Paulista no Botafogo é justamente o contrário. Cigano do futebol, o atacante falou sobre seu amor pelo Glorioso um dia após fazer o primeiro gol da vitória alvinegra sobre o Fluminense, gol que abriu o caminho do Botafogo para a final da Taça Guanabara.


“Em todos os clubes pelos quais joguei, sempre fiz sucesso num ano e saí no seguinte. Foi assim no Paraná, no Santos e no Alavés. No sábado, após o jogo, conversei com meu pai e ele me perguntou o que eu achava do Botafogo, e tive que confessar: quero ficar aqui por um bom tempo, no mínimo uns dois anos. Gostei muito daqui”, revelou o atacante.

Um gol em clássico decisivo é capaz de consagrar jogadores e escrever seus nomes na história e um clube. Para Wellington, o gol em cima do Fluminense pode significar não apenas sua consagração, mas também sua afirmação como jogador do Botafogo.

“Para mim, o importante desse gol não é a consagração, e sim uma possibilidade de me manter no time. Percebi que a torcida está começando a acreditar e mim, eu também gosto muito deles. Fazer um gol na Taça Guanabara apenas confirma esta boa fase”, afirmou o atacante, que, aos poucos, conquista seu espaço.
“Essa Taça Guanabara pode ser a minha oportunidade de mostrar à diretoria que o Botafogo não tem um atacante fixo dentro da área, mas que temos união e coletividade de sobra para superar isso”, ressaltou.

Cuca
Um time sem estrelas, de puro coração, derrubou a destemida “Máquina Tricolor” e o implacável “Trio de Ouro”, um feito que muitos consideravam impossível. Para Wellington, a vitória deve ser creditada ao treinador da equipe, Cuca.

“Nossa grande arma é o Cuca. Ele começou o campeonato com um elenco muito diferente e conseguir fazer o time se entrosar bem rápido. Até nós nos surpreendemos com o quão rápido nos entrosamos. Isso é fruto do trabalho que ele fez conosco dentro e fora de campo”, explicou.

Thiago Neves
Entre os botafoguenses, Wellington Paulista foi o único a responder às provocações de seu ex-companheiro de clube, o apoiador tricolor Thiago Neves. No entanto, ele garante que não guardou mágoa do adversário.

“Eu era muito amigo do Thiago quando jogávamos no Paraná, sei que aquilo foi apenas para provocar. Não tenho raiva dele”, explicou o atacante, que, ao contrário de Thiago Neves, não prometeu nada para final.

“Prefiro não prometer gols, apenas a mesma garra e determinação dos últimos jogos”, completou.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Castillo e o primeiro "créu" uruguaio do Maracanã



Vencer o Fluminense não tem preço. No entanto, para apimentar ainda mais a vitória, nada como ver o primeiro "créu" uruguaio do Maracanã. A imagem é da fotógrafa do Jornal dos Sports, Nina Lima, única a captar esse momento que cada torcedor alvinegro deve, sem sombra de dúvida, a Thiago Neves.


As provocações do apoiador tricolor apenas aumentaram a vontade dos jogadores alvinegros, que fizeram questão de mandar um "créu" nos tricolores após a vitória. Confira as fotos. Na primeira, Catillo dança enquanto Jorge Henrique, à esquerda, cai no riso. Na segunda, o "Ligeirinho" dá uma aula de créu para o uruguaio.



quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Diogo Rincón esclarece especulações

O atacante Diogo Rincón, atualmente no Dínamo Kiev, figurou entre possíveis nomes para integrar não apenas o elenco alvinegro, mas também o Corinthians e o Internacional. Após toda comoção, o jogador divulgou uma nota através de sua assessoria de imprensa comentando o ocorrido, sequer citando a possibilidade de jogar pelo Botafogo.

“De fato, o que existe é uma tendência da diretoria do Dínamo em facilitar uma possível negociação envolvendo o meu nome, coisa que até hoje não era nem cogitado por eles. Isso abriu caminho para que clubes que já haviam demonstrado interesse no meu futebol anteriormente pudessem fazer propostas concretas. Sei que citaram o Corinthians-SP e Internacional-RS como possíveis interessados e fico bastante lisonjeado com isso, pois trata-se de dois dos maiores clubes do país. O que posso afirmar hoje é que há pessoas da minha confiança vendo o que será melhor tanto para mim quanto para o clube interessado e até o final desta semana uma decisão será tomada. Não descarto um retorno ao Brasil, mas não há pressa para definir as coisas. Farei o que for melhor para mim, para o Dínamo, clube que tenho contrato em vigor até julho de 2009 e para o clube interessado”, afirmou o jogador, pela sua assessoria.

Rotenberg alfineta Renato Gaúcho

Ricardo Rotenberg não perdeu a oportunidade de alfinetar o técnico do Fluminense, Renato Gaúcho. O treinador declarou, na manhã de ontem, que o presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas, não deveria reclamar da arbitragem, e sim preocupar-se com o time.

“O Renato Gaúcho precisa se olhar no espelho, prestar bem atenção e descobrir uma coisa: ele não é dirigente do Fluminense, e cabe apenas a um dirigente responder às declarações do presidente do Botafogo”, afirmou Rotenberg.

“Somos clubes co-irmãos e não cabe a ele dar este tipo de declaração. Renato precisa respeitar este grande clássico entre Botafogo e Fluminense”, enfatizou.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Zaga alvinegra comenta confronto com o "Trio de Ouro" tricolor


Ter pela frente um ataque capaz de balançar as redes 23 vezes em sete jogos está longe de ser uma tarefa fácil. Quando este ataque é composto por Dodô, Leandro Amaral e o Washintgon, o famoso Trio de Ouro, que além de tudo, é municiado por Thiago Neves, a pressão é maior ainda. Segundo Renato Silva, o foco das conversas com Cuca tem sido apenas um: segurar os atacantes do Fluminense.

“O Cuca tem trabalhando muito conosco para enfrentar o trio de ataque do Fluminense. Estamos preparados para este desafio, será um jogo muito importante e esperamos vencer”, declarou o zagueiro, mostrando confiança para encarar o adversário. Para ele, seu principal inimigo no clássico será Leandro Amaral.

“Dos atacantes do Fluminense, o que pode dar mais trabalho é o Leandro Amaral. Ele é mais difícil de marcar, pois corre muito e se movimenta pelas pontas com muita velocidade”, explica Renato Silva.

No entanto, um dos maiores trunfos do tricolor não está no ataque, e sim no meio-campo. Thiago Neves, autor de três gols no Fla-Flu do domingo passado, também preocupa os defensores do Botafogo e promete ser uma dor de cabeça para Cuca.

“O Thiago Neves é uma dor de cabeça sempre”, afirmou Diguinho, volante alvinegro que terá pela frente a tarefa de frear o apoiador do Fluminense. “Além da habilidade, ele chuta muito bem de fora da área, temos que ter cuidado. Precisamos reduzir os espaços para que ele não possa municiar o ataque deles nem fazer gols. Darei o melhor de mim para segurá-lo”, ressaltou.

Bolas aéreas

As falhas de Castillo nas bolas aéreas e a velha deficiência do Botafogo neste tipo de jogada também preocupa os jogadores. Do lado do Flu, Washington tem sido mortal nas cabeçadas, redobrando a atenção de Cuca para o atacante.

“O Cuca falou muito hoje (ontem) conosco sobre bolas aéreas”, revelou Renato Silva. “Vamos trabalhar muito nessa semana para tentar neutralizar esta arma deles no sábado”.

Dodô

Até hoje, a saída de Dodô é sentida como uma traição entre os alvinegros. Apesar de alguns rumores afirmarem que o atacante ficará no banco na semifinal contra o Botafogo, a expectativa da torcida é poder reencontrar o ex-ídolo e atual desafeto do clube. No entanto, entre os jogadores, o clima é mais amistoso.

“Eu e Renato Silva conhecemos bem o Dodô, pois sempre enfrentávamos ele nos coletivos do ano passado”, explica Diguinho.

“Sei como ele gosta de receber a bola e se movimentar. Se ele jogar, usarei isso para ajudar o Botafogo a marcá-lo”, afirmou.

Reunião traça o futuro do Fogão


Na tarde desta terça-feira, em Caio Martins, uma reunião entre Cuca, Ricardo Rotenberg e Bebeto de Freitas começou a traçar alguns planos para o Campeonato Brasileiro. De olho no preparo do time para a competição mais importante do país, o treinador relatou aos dirigentes suas necessidades para formar uma equipe competitiva. Após a derrota para o Madureira, Cuca chegou a afirmar que sabia das carências de sua equipe e comentou que se reuniria com membros da diretoria. Rotenberg revelou alguns detalhes do encontro.

"Nos reunimos com Cuca e ele nos falou sobre aquilo que ele queria no Botafogo daqui para frente, sempre ressaltando que precisa de um atacante urgente", afirmou o dirigente, que revelou um apelo do treinador.

"Apesar da pressa por mudanças, ele nos fez um pedido: que começássemos esta remontagem após o fim da Taça Guanabara. Daí para frente, novos jogadores podem surgir", disse Rotenberg.

A saída de alguns jogadores que não estão correspondendo às expectativas também pautou a reunião de Cuca com os dirigentes. Segundo Rotenberg, estes jogadores podem ser negociados com outros clubes ou, dependendo das cláusulas contratuais, até dispensados antes do começo do Brasileirão. O dirigente, no entanto, não citou nomes.

Mais estrangeiros?
Famosos admirador do futebol argentino, Ricardo Rotenberg revelou que seu foco para novas contratações pode não passar pela Argentina daqui para frente.

"Venho observando os campeonatos estaduais pelo Brasil e alguns jogadores de qualidade têm chamado minha atenção. Talvez eu não vá tão longe para contratar mais jogadores", afirmou.

No entanto, caso o rumor de que a CBF permitirá quatro estrangeiros por time no Brasileirão se confirme, um meia argentino pode estar a caminho.

"Se isso se confirmar, pode ter certeza que finalmente poderei mostrar a todos o que quero dizer quando exalto a qualidade de meias argentinos. Certamente farei de tudo para trazer um apoiador argentino", ressaltou.

Rotenberg descarta Vitor Junior no Botafogo

Ao contrário do que foi noticiado hoje, o atacante Vitor Junior não interessa ao Botafogo. Segundo o colaborador da diretoria alvinegra, Ricardo Rotenberg, o jogador, atualmente no Santos, não vestirá a camisa alvinegra tão cedo.

"Ele foi um dos destaques no Sport no primeiro semestre do ano passado, até acho ele um bom jogador, mas ele não está nos nossos planos. Hoje, inclusive, um de seus empresários me ligou para saber se tínhamos interesse e lhe disse que não", afirmou o dirigente.

No entanto, Rotenberg considera a possibilidade de ter Vitor Junior no Botafogo em um futuro distante.

"Como gosto dele, quem sabe um dia pensemos em trazê-lo, mas agora não existe a menor possibilidade", afirmou.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Parceria entre o Botafogo e a TBZ pode melar


Segundo uma fonte ligada à diretoria alvinegra, é bem provável que a TBZ não seja a responsável pela administração do Engenhão. A empresa portuguesa não concorda com alguns termos contratuais exigidos pelo Botafogo, fato que pode levar o clube a buscar outro parceiro para ajudá-lo a administrar o estádio.

A desavença, ainda de acordo com esta mesma fonte, estaria na dificuldade que a TBZ encontra para bancar aquilo que o Alvinegro pretende fazer com o Engenhão. Uma terceira empresa, capaz de arcar com o investimento pretendido pelo clube, pode pintar para administrar no estádio. A diretoria, inclusive, já teria recebido uma série de propostas de outras entidades para gerir sua arena. Em outra situação, a TBZ ainda buscaria a parceria de outra empresa para conseguir atender às exigências do Botafogo.

A situação ainda não está definida, mas uma resolução deve sair nas próximas semanas e que o clube estaria tomando todas as precauções possíveis antes de escolher, em definitivo, a empresa que irá administrar o estádio. Vale ressaltar que o atraso no acordo não coloca em risco a posse do Alvinegro sobre o Engenhão.

O presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas, foi procurado pela reportagem do OBSERVATÓRIO ALVINEGRO, mas preferiu não dar declarações sobre o assunto.

Atraso

Nas últimas semanas, muito pouco foi comentado sobre o andamento do acordo entre a TBZ e o Botafogo. Bebeto de Freitas, sempre que procurado, afirmava que cada detalhe do acerto estava sendo avaliado, por isso a data da oficialização do contrato estava sendo adiada constantemente.

Ao que tudo indica, parte deste atraso estava ligada aos problemas que a TBZ vinha tendo para aceitar as exigências alvinegras.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Jorge Henrique deve voltar até as semifinais


A contusão de Jorge Henrique preocupou boa parte da torcida alvinegra, mas o chefe do departamento médico do Botafogo, Márcio Cunha, afirmou que tudo indica que o atacante estará apto a voltar aos gramados antes das semifinais da Taça Guanabara.


"Tenho quase certeza de que, até as semifinais, ele estará totalmente recuperado. Ele já melhorou muito, mas vamos aguardar o resultado do exame, que sairá amanhã, para ter real noção do problema", declarou o especialista.

O próprio Jorge Henrique também mostrou-se animado quanto a recuperação.

"Quero voltar logo, pois pretendo ajudar meus companheiros nas semifinais do campeonato. Espero que não seja nada de muito sério. A dor melhorou muito de lá para cá, acho que não será nada grave", afirmou o jogador, cuja última contusão foi justamente contra o Vasco

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Agora é certo: Eduardo não vem

O Botafogo bem que tentou trazer Eduardo, do Náutico, para tentar suprir a carência de goleiros no elenco, mas tudo indica que o jogador não vestirá a camisa alvinegra. Segundo o colaborador da diretoria, Ricardo Rotenberg, o presidente do Náutico, Ricardo Valouis, considera seu arqueiro inegociável.

"O Eduardo não vem. O presidente do Náutico é inflexível quanto a sua negociação. Ele queria vir para cá, mas nós não queremos que ele se desgaste com a diretoria do clube e prejudique sua imagem. Iremos atrás de outro goleiro", afirma o dirigente.

domingo, 27 de janeiro de 2008

Quem diria! Fluminense tentou levar Escalada!

Escalada foi motivo de piada durante a apresentação de Dodô, no início deste ano. No entanto, para a surpresa geral, o Fluminense também tentou levar o atacante para as Laranjeiras.

Segundo o jornal argentino "El Informe", que circula em Ceres, cidade natal do jogador, tanto o Cruzeiro quanto o Tricolor tentaram atravessar a negociação. Ricardo Rotenberg, membro da diretoria alvinegra, confirmou a história.

"Realmente, o próprio empresário do Escalada me informou que o Fluminense tinha entrado em contato com ele para saber a situação do jogador. Mas isso foi feito bem depois do nosso contato inicial, por isso a contratação dele já estava garantida", explicou o dirigente, que voltou ontem de viagem.

Montenegro

Sem papas na língua, o ex-vice de futebol do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro, não perdeu a oportunidade de alfinetar o Fluminense. Além de Escalada, o Tricolor também concorreu com o Glorioso nas negociações de Triguinho, Ferrero e Castillo.

"A verdade é que o Fluminense sempre está atrás do Botafogo, em todos os sentidos", afirmou o dirigente, que esteve presente no último treino antes do jogo contra o Americano, ontem, em General Severiano.

sábado, 26 de janeiro de 2008

Túlio joga, mas pode ser poupado no futuro

O volante Túlio, um dos pilares da equipe de Cuca, jogará neste domingo, contra o Americano, mas pode ser poupado nos próximos jogos do Botafogo. O jogador está se tratando de uma fascite plantar no pé direito, contusão que, para ele, foi responsável pelo seu mau rendimento na partida de quarta-feira, o Friburguense.

O técnico ainda estuda a idéia de poupar Túlio assim que o Alvinegro garantir vaga nas semifinais da Taça Guanabra.

O drama de Escalada


Ao que tudo indica, a corrida contra a balança não é a única batalha que Escalada vem travando desde que chegou ao Botafogo. Segundo uma fonte ligada à comissão técnica da equipe, o argentino está encontrando sérios problemas para se adaptar ao Brasil.

"Nós percebemos isso e estamos muito preocupados", revela esta fonte, que preferiu manter sua identidade em sigilo.


"Acredito que toda polêmica envolvendo seu peso o deixou muito abalado. Foi um choque para ele", explica.Talvez por esta razão, Escalada dá claros sinais de apatia e falta de entrosamento com o resto da equipe durante os treinos.


Nos coletivos, quando marca seus gols, o atacante sequer comemora ao lado dos companheiros. Alguns apontam a língua espanhola como empecilho, mas tanto Ferrero quanto Castillo têm conseguido se relacionar bem com o resto do elenco.


Outros apontam o passado de Escalada como um de seus maiores fantasmas. Ainda muito jovem, com apenas 13 anos, o atacante trocou Ceres, sua pequena cidade natal, por Buenos Aires, para atuar pelo Boca Juniors. Sem oportunidades no clube, ele foi para ainda mais longe de sua casa, sendo transferido para o futebol equatoriano.


Sua vida profissional "cigana" associada à jovem idade pode ser apontada como uma das razões para sua dificuldade em se relacionar.

Jogadores opinam


Para Andre Luís, zagueiro recém-contratado pelo Botafogo, dificilmente Escalada mudará sua postura com o resto do time.

"Também acho que ele esteja com dificuldades para se adaptar, mas acho que isso faz parte do jeito dele. Escalada é muito fechado, "na dele". Acho que isso não vai mudar", opinou o jogador.


"Acho que a idade e a língua podem estar dificultando", arrisca Túlio Souza."Também acho que ele é muito tímido, talvez por isso esteja passando por dificuldades para se entrosar conosco", afirmou.


Quem tem passado mais tempo ao lado de Escalada é o volante Leandro Guerreiro. Se recuperando de uma lesão no púbis, ele puxou para si a responsabilidade de ajudar o argentino a procurar um apartamente no Rio de Janeiro.


Para Leandro, o atacante irá se adaptar."Ele não é "marrento", apenas tímido, mas acho que o fato dele estar num país estrangeiro pesa um pouco. Passei pela mesma situação quando joguei no futebol italiano e só fui me adaptar ao time quase um ano depois", explicou.


Adaptado ou não, Escalada segue como uma dor de cabeça para o Botafogo, que apostou todas as suas fichas no atacante argentino.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Túlio é dúvida para jogo de domingo


Claramente abaixo da sua costumeira qualidade no duelo de quarta, contra o Friburguense, Túlio pode ficar de fora da partida contra o Americano. Segundo o volante, seu baixo rendimento se deu em função de uma lesão no pé.

“Sai do jogo sentindo sentindo dores. Entrei achando que estava 100%, mas no intervalo a lesão já atrapalhou. A contusão não vai agravar muito. É uma fascite plantar (lesão na base de sustentação na sola do pé) e tenho que conviver com ela. Manquei muito no segundo tempo e errei muitas bolas que não costumo errar”, explicou Túlio. Ele ainda garantiu que, caso não melhora, pedirá para Cuca não escalá-lo nos próximos jogos.

“Se eu estiver mal vou falar para o Cuca, pois não posso atrapalhar o time neste momento. Vou começar um tratamento agora e espero que possa melhorar a dor o mais rápido possível”, concluiu.

Renato Silva e Alessandro próximos da redenção


Ao lado de tantos reforços, parecia difícil que Renato Silva e Alessandro pudessem, enfim, deslanchar no Botafogo. Após um péssimo ano de 2007, a dupla chegou a ser cotada para integrar a barca que zarpou de General Severiano mas, para a surpresa geral, permaneceu no clube. Ao contrário do que se esperava, agora os dois estão bem próximos de fazer as pazes com a torcida.

A situação mais delicada era a de Renato Silva. Após um bom começo de carreira, o zagueiro foi pego em um exame antidoping por usar maconha, em março de 2007, quando ainda atuava pelo Fluminese.

“Tive muita vergonha naquela época, especialmente dos meus pais. Passei por tratamento psicológico e cheguei a ficar internado em uma clínica para dependentes. Me isolei de tudo, pois sabia que, naquele momento, todas as críticas do mundo desabariam sobre mim”, explicou o jogador.

Um mês depois, Renato teve a chance da redenção. Após o Fluminense rescindir seu contrato, ele foi procurado por Cuca e pela diretoria do Botafogo, clube que lhe de uma segunda chance.

“Quando recebi uma proposta do Botafogo, não pensei em dinheiro, não pensava em nada. Eu não acreditava que alguém me daria uma segunda chance”, afirmou o zagueiro.

Para ele, parte de sua superação se deve a dois de seus ex-companheiros. “Na época do doping, o Carlos Alberto, que está agora no São Paulo, conversou comigo várias vezes para me ajudar, chegou até a me recomendar um livro. Também me espelho no Obina para buscar me reerguer. No Flamengo, eu dividia o quarto com ele, que viva um mau momento e agora é ídolo lá”, revelou.

Favorito de Cuca

Com a chegada de Andre Luis, o próprio Renato Silva assumiu que sua expectativa era de começar 2008 no banco. No entanto, suas recentes boas atuações lhe renderam elogios de Cuca, que lhe considerou melhor em campo no jogo contra o Friburguense. Ciente da boa imagem que o técnico tem dele, o zagueiro deixou seu objetivo claro.

“Quero dar a volta por cima e me tornar titular absoluto do Botafogo”,

Alessandro

Após viver sob a sombra de Joílson e ser o alvo predileto das vaias da torcida, Alessandro tem experimentado sensações bem diferentes nos últimos dias. Pela primeira vez em muito tempo, ele teve seu nome gritado pela torcida, fruto dos belos gols marcados, um na partida contra o Viking e outro no jogo contra o Friburguense.

“Espero continuar como titular e contar com o apoio da torcida por mais tempo. Sei que, às vezes, o torcedor é impaciente, mas quero manter a boa atuação para conquistar confiança”, afirmou o jogador.

Quanto aos gols, Alessandro é humilde.

“Meu estilo não é fazer gols, mas procuro aproveitar as oportunidades. Cuca está me dando mais liberdade para chegar na frente e isso facilitou bastante”, explicou.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Eduardo de camarote no Engenhão!


Um dia após ter seu nome dado como certo no Cruzeiro e até no Santos, Eduardo, ex-Bahia, estava em um dos camarotes do Engenhão acompanhando a partida entre Friburguense e Botafogo. Na manhã de terça, o jogador assinou contrato de cinco anos com o Villa Rio, clube que pertence à empresa de procuradores Ability, e foi emprestado ao Botafogo.

Destaque do Bahia, o jovem zagueiro falou sobre a razão de ter preferido o Alvinegro na hora de decidir seu novo destino.

“Preferi o Botafogo porque meus empresários tinham uma relação boa com o clube ”, disse o zagueiro, que assistiu ao jogo ao lado de Montenegro.

“Ainda não conversei com Cuca ou com os jogadores, mas estou muito feliz por estar no Botafogo” comentou Eduardo, que será apresentado hoje.

Como vinha atuando pelo Bahia nas últimas semanas, ele já tem condições de jogo e pode estrear ainda na Taça Guanabara.

Túlio Souza estréia em um mês!


Após muito suspense, a estréia de Túlio Souza pelo Botafogo já tem (novo) prazo: um mês. Segundo o volante, que se destacou pelo Coritiba, campeão brasileiro da Série B, o departamento médico preferiu ter cautela com sua lesão no púbis.

"Uma lesão no púbis, como todos sabemos, é muito complicada. Para acabar com ela de vez, é preciso ficar muito tempo em repouso. Aproveitei meu mês de férias, não fiz esforço e agora estou treinando sem bola, somente na academia, para estar apto para estrear. A previsão inicial é que, dentro de um mês eu volte aos gramados", explicou o jogador, que assumiu ter jogado no esforço a reta final da Segundona 2007.

"Já estou com esta contusão no púbis há algum tempo. Joguei muitos jogos da Série B contundido, por isso ela se agravou", afirma Túlio Souza, que é chamado de "Tulinho" pelos outros jogadores.

Há alguns dias, Cuca chegou a afirmar que o volante já estaria pronto para estrear no jogo de ontem, contra o Friburguese, mas sua previsão não vingou.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Cuca à procura da batida perfeita


O jogo de hoje, contra o Friburguense, às19h30, no Engenhão, é apenas o segundo do Alvinegro no Carioca 2008, mas Cuca tem mostrado que está bem perto de alcançar sua batida perfeita. Após uma avalanche de contusões, jogadores atuando abaixo do esperado e a suspensão de outros, o Botafogo chega a sua quarta partida consecutiva em 2008 com o mesmo time.

“A última vez que lembro de ter escalado o mesmo time em quatro jogos e de ter uma escalação na cabeça foi no primeiro semestre de 2007 e no começo do Brasileiro do ano passado”, lembrou Cuca, que citou a importância de manter o mesmo grupo como titular.

“Fazendo isto, você passa confiança aos jogadores e dá continuidade a um trabalho. É assim que eles deixam de ser apenas jogadores e se tornam uma equipe”, afirmou o treinador. Comandando um elenco totalmente diferente do ano passado, ele tem se esforçado para trabalhar o entrosamento.

“Mesmo após uma partida, não realizo treino de dois toques ou exercícios físicos. Eu os coloco para jogar coletivos. Assim, eles entram mais rapidamente em ritmo de jogo e melhoram o entrosamento”, destacou.

Ciente que alguns de seus jogadores ainda estão se preparando para estrear, como Escalada e Andre Luis, ele confessa que seu foco está nos atuais titulares.

“Não posso contar com aqueles que ainda não estão preparados para entrar em campo. Tenho que pensar no dia, no agora. Só vou considerá-los quando puder realmente contar com eles”, explicou.

Informante de Cuca

Um dos pontos fortes do Friburguense, segundo Cuca, é a união de seu elenco. Ao contrário do Botafogo, o time de Friburgo vem mantendo o mesmo grupo há várias temporadas.

“O Friburguense tem alguns jogadores que jogam há anos juntos. Tem gente lá que jogou ao lado do Abedi, em 2004”, disse o treinador.

Justamente por isso, além da oportunidade de vestir a primeira vez o manto alvinegro, Abedi terá uma nova função que será adicionada a sua já famosa polivalência: a de informante.

“Ainda não conversei com o Abedi, mas posso garantir que falarei com ele para saber mais sobre o Friburguense”, garantiu Cuca.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Novo atacante? Só após ver Escalada!

A diretoria do Botafogo desistiu de buscar um novo matador para o Botafogo neste começo de temporada. Segundo Carlos Augusto Montenegro, ex-vice de futebol do clube, um novo atacante irá pintar em General Severiano apenas se Escalada não cumprir seu papel.

"Até o momento, desistimos de trazer um novo atacante. Queremos ver Escalada em campo primeiro", afirma o dirigente.

A diretoria alvinegra tem mantido em segredo o nome de possíveis reforços para o ataque, mas já deu algumas pistas. Sabe-se que ele é brasileiro e atua no futebol árabe ou japonês. Luciano Emílio, atacante do DC United, da liga americana de futebol, foi sondado, mas descartado posteriormente.

Abedi estréia nesta quarta!


Nesta quarta-feira, contra o Friburguense, os alvinegros terão a oportunidade de gritar o nome de um jogador que deu muitas alegrias a um de seus rivais. Abedi, ex-Vasco, já está em condição de jogo e tem tudo para estrear na segunda rodada do Carioca. Segundo fontes ligadas à comissão técnica, o jogador vem recebendo tratamento especial do departamento médico, que tem trabalhado para deixá-lo tinindo até quarta-feira.


No coletivo desta segunda, em Caio Martins, o apoiador chegou a treinar entre os titulares, substituindo Alessandro na metade da atividade. Bem visto por Cuca e pelos torcedores botafoguenses, Abedi possui uma característica venerada pelo treinador: a polivalência.


Em seus tempos de São Januário, ele começou na meia-ofensiva, mas também atuou como volante e foi até improvisado no ataque em algumas oportunidades. Segundo Ricardo Rotenberg, membro da diretoria alvinegra, Cuca considerou sua contratação como um verdadeiro presente de natal.


“No dia 23 de dezembro, Montenegro ligou e disse para o Cuca que Abedi poderia vir para o Botafogo. O técnico respondeu que não poderia ter recebido um presente de natal melhor do que esse”, afirmou o dirigente.


Concorrência


Após jogar como apoiador, volante e até atacante, Abedi terá uma nova posição em seu currículo: a lateral direita. O próprio Cuca já antecipou que ele chega para atuar neste setor. No entanto, uma função que tem sido bem carente de bons jogadores ultimamente promete protagonizar uma acirrada briga pela titularidade.


Um dos concorrentes à vaga é Túlio Souza, ex-Coritiba. Destaque do Coxa na campanha que rendeu ao clube o título da Série B, o jogador será páreo duro para Abedi. Outro adversário a ser superado é Alessandro. Perseguido pela torcida na última temporada, ele fez boas atuações este ano e parece disposto a incomodar seus concorrentes na luta para ser titular.


Quem será o dono da lateral direita alvinegra em 2008, ninguém sabe. Mas ao que tudo indica, a briga pela vaga tem tudo para melhorar o desempenho dos jogadores no setor.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Eduardo é do Botafogo!


Ir ao Engenhão e ver o Botafogo golear o Viking, por 4 a 0, rendeu mais do que o esperado. No intervalo do jogo, uma fonte bem confiável garantiu: nesta quinta-feira, a contratação do zagueiro Eduardo será anunciada.

Apenas da pouca idade, apenas 19 anos, o jogador vem chamando atenção de vários clubes, inclusive o Cruzeiro, que tentou levá-lo para a Toca da Raposa antes do Alvinegro. Segundo fontes ligadas a diretoria, Eduardo terá seus direitos vinculados a um grupo de investidores ligados ao Botafogo.

Passeio em cima dos Vikings


Que ritmo de treino, que nada. Mesmo após afirmar que o Botafogo pegaria leve nos jogos da Copa Peregrino, Cuca viu seu time incendiar o Engenhão e golear o Viking por 4 a 0. E o dono do show foi Jorge Henrique, herdeiro digno da camisa mais tradicional do Golorioso: a sete.

Acostumado a ser o garçom do ataque alvinegro, o “Ligeirinho” mostrou que sua fama de mau finalizador é coisa do passado. Logo no começo da partida, o atacante recebeu um passe sensacional de Lúcio Flávio e fuzilou o gol adversário: 1 a 0.

E a magia da sete não morreu nesta jogada. Dez minutos depois, Jorge Henrique deu mais uma de suas excepcionais arrancadas e o goleiro norueguês foi obrigado a fazer um pênalti, que Lúcio Flávio converteu.

Redenção de Alessandro

Perto do fim do primeiro tempo, um dos jogadores mais caçados pela torcida roubou a cena no Engenhão. O lateral-direito Alessandro invadiu a área do Viking, driblou o goleiro e ampliou o placar. E, pela primeira vez em muito tempo, viu toda torcida clamar por seu nome. Quando foi substituído por Índio, já na etapa final, ele foi muito aplaudido pelos torcedores.

De olho no Carioca

Apesar de afirmar aos quatro ventos que a partida contra o Viking seria um mero jogo-treino, Cuca mostrou-se tão tenso quanto nas partidas oficias. À beira do gramado nos 90 minutos de jogo, o treinador passava instruções constantemente e não permanecia um minuto em silêncio, tudo para deixar a equipe alinhada para a estréia no Carioca.

Cuca não deixou a lateral do campo nem durante o vagaroso segundo tempo, cuja única agitação foi a cabeçada certeira de Édson, que fechou a goleada em cima dos vikings noruegueses.

Com o resultado garantido, os juniores do Botafogo invadiram a partida, predominando nas dez substituições feitas por Cuca. Experimentando e afinando seu elenco, sem o alarde dos rivais, o Alvinegro começa 2008 com o pé direito: campeão moral da Copa Peregrino, sem levar sequer um gol, com o ataque mais positivo e, acima de tudo, levantando sua torcida, que fez a festa no Engenhão.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Montenegro garante: Botafogo tem prioridade sobre Eduardo!


Quando tudo parecia perdido e o zagueiro Eduardo, de 19 anos, estava de malas prontas para deixar o Bahia e atuar pelo Cruzeiro, o clube mineiro desistiu da negociação em função da contratação de outro jogador. No entanto, o ex-vice de futebol alvinegro garante, em entrevista exclusiva ao OBSERVATÓRIO ALVINEGRO, que a Raposa desistiu porque o Botafogo tem prioridade na contratação do jogador.

"Na verdade, o Botafogo jamais desistiu de contratar o Eduardo. O Cruzeiro saiu da briga porque sabia que nós temos prioridade na sua contratação", afirmou o dirigente.

Ainda segundo Montenegro, a transferência do jogador pode ser concluída nos próximos dias.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Montenegro garante: terça teremos novidades sobre o reforço


O jovem zagueiro tão falado por Ricardo Rotenberg está bem perto de acertar com o Botafogo. Antes de viajar, na última sexta-feira, o dirigente garantiu que Montenegro se encarregaria da contratação, e o ex-vice presidente do Botafogo disse que os torcedores terão novidade sobre o novo jogador apenas amanhã (terça-feira).

"Acabei de chegar de viagem e hoje (segunda-feira), não poderei concluir a negociação. Amanhã teremos novidades", afirmou o dirigente.

Segundo Rotenberg, o novo zagueiro pretendido pelo Botafogo é um jovem promissor e que tem vários clubes grandes em seu encalço. O dirigente manteve seu nome em sigilo para garantir que ninguém atravesse a negociação.

Cuca confirma: situação de Guerreiro é preocupante

Muita gente não acreditou quando o Observatório Alvinegro noticiou que Leandro Guerreiro poderia ficar até seis meses afastado dos gramados, mas Cuca confirmou no treino de hoje: a situação dele é preocupante.

Questionado sobre o possível retorno do volante em 45 dias, o treinador disse:

"A situação do Leandro Guerreiro é diferente", afirmou. "Ele não tem prazo para retornar", garantiu o treinador.

Conforme antecipou o OA, fontes ligadas à comissão técnica garantem que Guerreiro esteja plenamente recuperado apenas no meio do ano, justificando a contratação do volante Robston, ex-Atlético (GO).

Túlio Souza pode pintar na segunda rodada do Carioca!


Ao contrário das expectativas, Túlio Souza deve pintar no Fogão bem antes do esperado. Segundo Cuca, a lesão no púbis não impedirá o jogador de estrear pelo Alvinegro, talvez já na segunda rodada do Carioca.

"A situação do Túlio Souza é bem diferente do Leandro Guerreiro. Ele está alternando entre treinos e tratamento físico. Usarão um produto especial no púbis dele e ele pode até estrear na segunda rodada do Carioca", afirmou o treinador.

Vindo do Coritiba, Túlio é o mais cotado para substituir Alessandro na lateral-direita do Botafogo. No ano passado, ele foi um dos destaques da equipe campeã da Série B.

Corrida contra o tempo para entrar em forma


Enquanto parte dos recém- chegados já mostra serviço, algumas das novas contratações alvinegras precisarão correr contra o tempo para entrar em forma antes do começo do Carioca.

Um deles é Andre Luis. Cotado para formar a dupla de zaga titular, ao lado de Ferrero, o jogador tem se esforçado para voltar aos gramados.

Brigado com a diretoria do Cruzeiro, ele foi barrado da equipe durante meses e não jogou uma partida no Brasileirão. Além dele, Robston é outro que tem dado duro para estrear com a camisa alvinegra. Vindo do Altético-GO, o volante está há algum tempo sem jogar e precisará de algum tempo para entrar em forma.

Presente de grego

Um dos problemas que Cuca está enfrentado para armar seu time para o Carioca é a azarada safra de reforços que aportou em General Severiano. Escalada, alvo de plêmica no clube, chegou acima do peso e, segundo membros da comissão técnica, pode apenas estrear na segunda metade de fevereiro.

Túlio Souza, uma das contratações mais elogiadas por Cuca, estava com uma lesão no púbis quando chegou e sequer tem treinado ao lado dos companheiros. Já Abedi deixou Israel com uma leve entorse, mas deve estar em forma para o Carioca.

A hora e a vez de Diguinho


A contusão de Leandro Guerreiro, lamentada por toda torcida botafoguense, pode ter chegado a hora da grande chance de Diguinho. Considerado por Cuca, em 2007, o 12° jogador do time, o cabeça-de-área vem atuando ao lado de Túlio nos últimos coletivose foi titular no amistoso contra o Stabaek.

Feliz com a oportunidade, ele quer se manter na posição

"Cuca sempre fala que aqui não há titulares, mas vou continuar fazendo meu trabalho para me manter. Sei que, caso continue jogando bem, irei garantir minha posição. Abedi, Túlio Souza e Robston também estão no páreo e quem estiver jogando melhor vai conseguir a vaga. Terei que me esforçar", analisa o jogador.

Amadurecimento

Considerador por muitos um jogador indisciplinado, Diguinho passou por uma série de problemas que transformam sua atitude.
Além de uma contusão que o afastou do gramado por algumas semanas, o jogador ainda viveu um triste episódio: a morte de seu irmão caçula.

Nitidamente amadurecido, o volante vem se dedicando nos treinos e tem tudo para ser o substituto ideal de Leandro Guerreiro.

“Esse último ano no Botafogo meu deu muita experiência. Antes, eu era muito afobado, queria tudo depressa. Agora estou mais maduro e espero que isso me ajude a fazer um bom 2008”, afirmou o cabeça-de-área.

Confira os destaques de Botafogo x Stabaek


Como Cuca disse, a partida contra o Stabaek estava longe de ser um jogo de verdade, mas meramente um treino para o elenco alvinegro. E foi sem se esforçar que o Botafogo derrotou o atual vice-campeão norueugês por 2 a 0, gols de Zé Carlos e Fábio.

Para quem foi ao jogo, valeu por rever os jogadores e conferir o futebol dos recém-chegados. Só. De um lado, o Stabaek mostrou que não tem muita intimidade com a bola enquando, do outro, os botafoguenses mostraram que precisam de um pouco mais de tempo para acertar o entrosamento.

Uma esquerda de meter medo
Os rivais fizeram pouco caso das contratações de Zé Carlos e Triguinho, mas quem compareceu ao Édson Passos viu que eles irão surpreender muita gente. Os dois jogadores mostraram muita raça, em especial Zé Carlos. O apoiador, lateral-esquerdo de origem, fez tudo: marcou, armou jogadas e, acima de tudo, disparou seu tão esperado "chute de cavalo".

"Como todo jogador, faço uso daquilo que tenho de melhor, no caso, meu chute. Ele é forte, mas a parte de "chutar como um cavalo" eu deixo para o Túlio", brincou o reforço.

A surpresa também ficou por conta do entrosamento entre Jorge Henrique e Zé Carlos, que pareciam jogar juntos desde sempre.

Decepção para Wellington Paulista
Nos coletivos da pré-temporada, Welligton Paulista se firmou como uma das maiores promessas do novo elenco. No entanto, sua partida contra o Stabaek durou apenas cinco minutos. Apenas no começo do jogo o atacante foi bem, depois, pareceu perdido em campo. Incapaz de se livrar da marcação dos noruegueses, ele pouco produziu na partida, mas, pelo que já fez nos coletivos, merece uma segunda chance.

Juniores competentes
Joaquim, Renan e Wellington Junior realizaram um belo jogo contra o Stabaek. O primeiro, lateral-esquerdo, soltou duas bombas contra o gol norueguês, ambos em cobranças de falta, e foi no rebote de um deles que Fábio fez seu primeiro gol com a camisa alvinegra, segundo da vitória.

Renan mostrou a segurança habitual dos treinos, mas teve pouquíssimo trabalho, já que o Stabaek mal ameçava o gol do Botafogo. Já o volante Wellington Junior deu um show de categoria, marcando bem e dando excelentes passes.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Luciano Emílio não vem. Atacante continua na pauta

Hoje, no Engenhão, Ricardo Rotenberg afimou que desistiu repatriar o atacante brasileiro Luciano Emílio, artilheiro e vencedor do prêmio de melhor jogador da MLS (Major League Soccer), a liga de futebol dos Estados Unidos. A avançada idade de jogador, que fará 30 anos ainda em 2008, pode ser uma das razões que o afastaram de General Severiano.

A contratação de um atacante, no entanto, não está descartada. Seguno o dirigente, Cuca e a diretoria estão levantando alguns nomes que já estão sendo sondados.

"Dei uma lista de seis jogadores ao Cuca e dois foram aprovados por ele. Vamos investir neles para tentar trazê-los", revelou Rotenberg. O dirigente ainda revelou que um deles está atualmente no futebol europeu.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

O drama de Leandro Guerreiro


Cuca que se cuide, pois pode ficar sem Leandro Guerreiro por muito mais tempo do que imaginava. Segundo fontes ligadas à comissão técnica, o volante deve ficar de molho por um período bem maior do que os 45 dias inicialmente divulgados. Sua contusão no púbis, semelhante àquela que afetou o meia vascaíno Morais, pode deixar o meio-campista fora dos gramados até o meio do ano.

Esta revelação explica a repentina contratação do volante Robston. Leandro Guerreiro sequer treinou com seus companheiros, reapresentados para a pré-temporada. E os problemas como púbis param por aí: Túlio Souza, recém-contratado do Coritiba, também tem se ausentado dos treinamentos para tratar uma contusão semelhante, reduzindo o número de opções de Cuca. Tudo leva a crer que as decisões de manter o lateral-direito Alessandro no elenco e a chegada de Robston tenham sido medidas de emergência para substituir os jogadores com problemas no púbis.

Elogiado por participar das últimas partidas do Campeonato Brasileiro mesmo contundido, Leandro Guerreiro está pagando preço de seu esforço. Estes jogos foram fundamentais no agravamento de seu problema, comprometendo a recuperação.

E quem acreditou no prazo inical divulgado pelo clube, de 45 dias, pode se preparar para uma surpresa. Ainda segundo fontes ligadas à comissão técnica, após este período de repouso, o tratamento de Leandro Guerreiro terá começo. Ou seja, é muito pouco provável que o volante, que virou ídolo da torcida botafoguense, esteja em plena atividade para disputar o Carioca.

Aposta alvinegra

Querido pelos torcedores e peça-chave no esquema de Cuca, Leandro Guerreiro tem uma história no Botafogo que a diretoria espera que se repita com outros jogadores nesta temporada. Contratado como uma aposta, o volante veio do Críciuma, então na Série C do Brasileirão. Cercado de dúvidas e críticas sobre seu potencial, ele ganhou projeção nacional no Glorioso.

Seu prestígio em General Severiano é tão grande que, após derrota para o River Plate, Guerreiro foi um dos poucos popuados pela torcida alvinegra.

Bebeto de Freitas não corre risco de ser preso


Ao contrário do que foi noticiado hoje, o presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas, não corre risco de ser preso. Quem garante A confusão começou quando o clube supostamente descumpriu o ato 2272 do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), acordado em 2003, que o obriga a repassar 15% de suas receitas mensais para o pagamento de dívidas trabalhistas.

A mesma fonte garante que o valor gira em torno dos R$20 mil e tudo indica que um erro de cálculo pode ser a causa do problema, já que a quantia é pequena para o valor das transações feitas pelos grandes clubes. Já o TRT afirma que o a dívida alginegra é bem mais elevada, ultrapassando a casa dos R$100 mil. Mesmo que seja condenado, bastaria ao Botafogo pagar a quantia que falta para que seu presidente não seja preso, atitute que, certamente, será tomada pelo clube.

Decisão adiada

O julgamento de Bebeto de Freitas, programado para hoje, será realizado apenas no dia 24 de fevereiro. Nesta data, seu pedido de habeas corpus será julgado e, caso seja negado, o clube terá que pagar a quantia solicitada pelo TRT para mantê-lo em liberdade.

Luciano Emílio - mais um matador para o Fogão

Importar o mair artilheiro do campeonato equatoriano não bastou ao Alvinegro, o alvo agora é o artilheiro da Major League Soccer (MLS), o campeonato americano de futebol, Luciano Emílio, palavra de Ricardo Rotenberg, colaborador da diretoria. Vencedor do prêmio de melhor jogador da competição, o atacante atua no DC United e está sendo sondado pela diretoria pela falta de matadores no elenco. Contando apenas com Escalada e Fábio, o primeiro fora de forma e o segundo vindo de contusão, para o posto de artilheiro, a tendência é que um novo atacante chegue até o Carioca.

Conheça Luciano Emílio


O novo reforço sondado pela diretoria é um verdadeiro cigano do futebol. Após passagens por clubes de menor expressão de São Paulo, como o XV de Piracicaba e o Rio Branco, Luciano Emílio foi vendido ao Cologne, da Alemanha, aonde chegou a atuar pela primeira divisão local. Transferido, posteriormente, para um clube da segunda divisão alemã, o atacante fez um breve retorno ao Brasil, pela União Barbarense, mas logo voltou para o exterior, mais exatamente para Honduras.

No futebol hondurenho, Luciano Emílio viveu uma de suas melhores fases. Ele foi artilheiro das temporadas 2003/2004 e 2004/2005, pelo Real España, e 2005/2006, pelo Olimpia. O jogador também passou pela segunda divisão mexicana, mas logo foi vendido ao DC United, clube pelo qual ganhou notoriedade nos Estados Unidos, conquistando a artilharia da MLS e sendo considerado o melhor jogador da liga (Most Valuable Player - MVP AWARD).


Outros nomes


Luciano Emílio não é o único atacante sondado pela diretoria alvinegra. Além dele, mais dois matadores estão na mira: um joga atualmente no Japão e o outro está no futebol árabe, mas seus nomes são mantidos em sigilo por Ricardo Rotenberg, colaborador do clube.

A chegada de um ídolo


Com status de ídolo, o goleiro Castillo foi recepcionado por cerca de 300 torcedores, que compareceram em peso no Caio Martins para a chegada do novo reforço. Contratado como a solução final do problemático gol alvinegro, o jogador quase foi às lagrimas ao ver a torcida gritar seu nome, assim que entrou no gramado.

“Gostaria de agradecer a confiança que o Botafogo e seus torcedores depositam em mim. Prometo muito profissionalismo e farei de tudo para passar segurança aos meus companheiros de equipe nas partidas”, declarou Castillo, que demonstrou conhecer a rivalidade dos times cariocas.

“Sei que há muita rivalidade com os outros times do Rio de Janeiro, especialmente o Flamengo. Nestes jogos, farei de tudo para fechar o gol do Botafogo”, afirmou o goleiro, que também mostrou que sabe bastante sobre seu novo técnico.

“Sei que Cuca já foi um grande jogador, um bom meio-campista. Também me falaram que ele é um treinador bem aberto, que gosta muito de conversar com os jogadores.

Responsabilidade

Chegar para ser o titular absoluto em uma equipe que, há anos, não leva fé em seus goleiros é uma tarefa dura para qualquer jogador, mas nada que abale Castillo. Goleiro da seleção uruguaia e titular do Peñarol, um dos times mais tradicionais de seu país, o jogador mostrou tranqüilidade ao assumir o posto de titular no Glorioso.

“É uma responsabilidade enorme, mas eu tinha esta mesma cobrança no Peñarol. A torcida deles era menor, mas nem por isso a tensão diminuía. Espero repetir a regularidade que tive no Uruguai”, disse Castillo, que explicou sua preferência pelo clube de General Severiano.

“Eu gosto muito do Brasil, tinha muita vontade de vir jogar aqui. Além disso, o Botafogo me procurou e fizemos uma negociação muito correta, por isso lhes dei a preferência”, esclarece. Além do Alvinegro, Fluminense e Grêmio tentaram contratar o uruguaio, que assinou um contrato de três anos com o Glorioso.

Só elogios de Cuca


A felicidade da chegada do novo goleiro não ficou restrita à torcida. Após a apresentação do reforço, foi a vez de Cuca elogiar Castillo.

“É impressionante como ele é um jogador que realmente se dedica ao clube, e isso é excelente. Além de mostrar conhecer o Botafogo, até sobre meu passado como jogador ele sabe”, brincou o treinador.

Juninho: "Meu desejo era ficar"


De ídolo a mercenário, a imagem do então inabalável Juninho foi manchada após uma conturbada e repentina negociação com o atual bicampeão brasileiro, o São Paulo. Em meio a diversas especulações sobre a verdadeira razão do jogador ter trocado as cores do Alvinegro pelas do Tricolor, a torcida deixou de crer naquele capitão que afirmava com veemência que permaneceria em General Severiano. Agora que a poeira baixou, o jogador falou, com exclusividade ao OBSEVATÓRIO ALVINEGRO, sobre sua saída, revelando detalhes de seu processo de renovação, a tentadora oferta são-paulina e, acima de tudo, reiterando seu carinho ao torcedor botafoguense.

"Duas semanas antes do fim do Brasileirão, acertei alguns detalhes da minha renovação com o Botafogo. No entanto, depois disso, parece que houve um desentendimento entre o clube e a empresa que detinha meus direitos. Por isso, neste meio tempo, fiquei sem qualquer resposta da diretoria, não tinha idéia de qual seria meu futuro. Nesse momento, apareceu uma proposta excelente do São Paulo. Meu desejo era permanecer, mas tenho família e filhos, não podia ficar com minha situação indefinida, precisava de alguma coisa garantida, algum acerto, o que não aconteceu", revelou o jogador.

O ex-capitão também tratou de esclarecer que nunca traiu o Alvinegro. "Toda vez que beijava o escudo do Botafogo, que falava sobre meu carinho pelo clube e meu desejo de ficar, eu estava falando a verdade. Eu amo o clube, não queria deixá-lo e estarei torcendo por ele sempre, independentemente de estar nele ou não", disse o zagueiro. Questionado sobre como seria encarar seu ex-clube no Maracanã, perante toda torcida alvinegra, Juninho se emocionou ao responder.

"Acho que jamais receberei, em nenhum outro clube, tanto carinho quanto recebi dos torcedores botafoguenses. Escutar todo um estádio gritando meu nome e pedindo para que eu ficasse foi emocionante, algo que jamais esquecerei", respondeu.

Dirigente inocenta Juninho
O colaborador da diretoria, Ricardo Rotenberg, isentou o zagueiro Juninho de qualquer culpa em sua transferência para o São Paulo. "Realmente, houve um período no qual o futuro do Juninho ficou incerto e toda garantia que ele tinha não era oficial, apenas verbal. Ele foi profissional até o fim e não há razões para crucificá-lo", afirmou o dirigente.